28/12/2015 | 15:30

Consumo de energia sobe no NE e NO, mas cai no Sudeste e Sul, maiores mercados do país

A previsão da carga de energia do sistema elétrico nacional, medida indica o consumo, teve comportamento diferentes entre as regiões do país em 2015, padrão que deve se repetir em 2016.

Segundo dados do Operador do Sistema Elétrico Nacional (ONS), a carga (que soma o que foi consumido com as perdas do sistema) cresceu 1,8% no Norte e 3,4% no Nordeste.

Já nas regiões Sudeste/Centro-Oeste (interligadas do ponto de vista elétrico) as quedas foram de 3,5% e 3,1%, respectivamente. Em ambos os casos, o consumo industrial tem mais peso e a retração do setor restringiu o consumo de energia. Na média nacional, houve redução de 1,9%.

Para 2016, a previsão é de recuperação da carga no Sudeste/Centro-Oeste (alta de 0,7%) e no Sul (0,8%). Já no Nordeste, deve haver desaceleração, com crescimento de 1,2%. Para o Norte, a estimativa é de alta de 1%. Em média, o ONS espera uma expansão 1%.

Os resultados de 2015 e a projeção para 2016, segundo a previsão do ONS, são afetados pelo pior desempenho do PIB, corte de gastos públicos e investimentos, além da elevação das tarifas de energia.

Pelas estimativas do ONS, somente a partir de 2017 é que o consumo de energia voltará a crescer com mais força. A projeção para aquele ano é de alta de 4,2%. Para 2018 e 2019, as previsões apontam para crescimento de 4,2% e 4,1%, respectivamente.